terça-feira, 5 de fevereiro de 2013


Motorista baleado por Policial Rodoviário diz que não vai denunciar por medo de morrer
O motorista Ceteblino Pereira que teve o carro que dirigia atingido por tiros de pistola disparados por Policiais Rodoviários Federais na noite de segunda-feira, 4 em Porto Franco e o genro dele Carlos Cear, disseram que não vão denunciar o caso na Policia Civil nem na Superintendência da PRF por medo de serem assassinados pelos policiais.
Carlos Cezar é dono de uma empresa do ramo de eletricidade. Na noite do dia 4, estavam pondo fogo pedaços de cabos de cobre, com a intenção de vender o produto em usinas de reciclagem. Ao deixaram o local onde foram queimar os cabos, perceberam a presença de uma viatura da PRF mas, desconheciam o motivo pelo qual estavam ali onde também havia uma carreta parada na estrada.
Sem terem recebido ordem para parar, o trio que ocupava a caminhonete F250 foi surpreendido por mais de 20 disparos. Alguns atingiram o para-brisa e as portas do carro, um tiro acertou o ombro de um dos ocupantes.
Depois foram abordados, humilhados e chingados pelos PRFs, os três homens foram reconhecidos pelo policial Militar James Macedo que alertou os colegas de uma besteira que fizeram em atirar contra cidadões de bem, afirmou Ceteblino à reportagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇA SEU COMENTÁRIO OU ENVIE SUA RESPOSTA EM CASO DE DIREITO A RETRATAÇÃO.

IMPERATRIZ Duas pessoas morreram por causa da enchente em cidades da região Tocantina  As chuvas que caíram na região nos últimos di...