terça-feira, 16 de abril de 2013


SÃO JOÃO DO PARAÍSO
Recomeço difícil, assim é definida a situação do município

[SÃO JOÃO DO PARAÍSO – MA] – Fundado em 1997 tendo como seu primeiro prefeito Vicente Ribeiro Sobrinho, um dos grandes responsáveis por sua emancipação, o Município estava indo muito bem. Mesmo o Estado apresentando baixos índices de desenvolvimento humano, Ribeiro com seu trabalho conseguiu elevar o índice do IDH para o 13º (PNUD-2000) no ranking estadual. Não se reelegeu, mas em 2005, Vicente com seu grupo, consegue eleger seu filho José Aldo Ribeiro, e com outro Ribeiro na prefeitura o Município retoma seu crescimento e desenvolvimento num ritmo ainda mais forte. Praças, escolas, ruas, estradas, pontes, ambulâncias foram construídas ou recuperadas. 
Em 2008 todas as oposições se juntam elegem o Boca Quente e começa o infernal astral do Município. Implanta-se uma disputa política tão acirrada que somente nessa gestão entre 2008 a 2012 cinco pessoas assumiram a cadeira de prefeito e isso trouxe consequências graves que os números registram. O IBGE aponta que nos últimos anos o município perdeu quase seiscentas pessoas caindo 11.388hab para 10.814hab (IBGE-2010), a renda per capta caiu de quase 5 mil reais para R$ 4.301,00 (IBGE-2010). O PIB sofreu uma perda de sete milhões ao ano caindo de R$ 57.757.416,00 (cinquenta e sete milhões setecentos cinquenta e sete mil quatrocentos e dezesseis reais) para R$ 50.444.000,00 (cinquenta milhões quatrocentos quarenta e quatro mil reais). O comércio sofreu e o povo foi embora.
Na educação e na saúde os estragos foram tamanhos que deveria ter sido caso de polícia e até de intervenção pelo Estado. Os gestores da conturbada gestão deixaram o censo escolar despencar de 4.138 (quatro mil centro e trinta oito) alunos para 2.353 (dois mil trezentos cinquenta e três) alunos, impondo um prejuízo, em média, durantes esses quatros e difíceis anos de cerca de R$ 8.400.000,00 (oito milhões e quatro mil reais), isto só em consequência da queda do censo escolar. A macabra herança na educação ainda inclui cinco meses de salários atrasados o que totaliza quase dois milhões de reais.

E o prejuízo para as crianças e adolescentes que ou tiveram que deixar as casas dos pais e irem estudar em outros municípios ou então fizeram o pior, ficaram sem estudar. Um prejuízo que somente o futuro vai poder mensurar. Não vamos nem citar o retorno de milhares em recursos por falta das prestações de contas do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), da falta de merenda escolar, até um recurso enviado pelo governo federal para aquisição de um ônibus, ninguém sabe, ninguém viu.

Na saúde o drama não foi menor. Pra não nos alongarmos muito basta dizer que nos últimos 17 meses não foram prestadas nenhuma conta dos recursos, nem de convênios ou repasses, nem da produção mensal estagnando ou melhor regredindo a tal ponto a qualidade da saúde que Ribeiro recebeu o Município sem nenhuma ambulância funcionando. Os PSF foram prejudicados alguns foram descadastrados. Na assistência social, somente no Programa Bolsa Família, pra ficarmos num exemplo do desmonte que houve do município, mais de mil famílias foram retiradas do programa por incompetência ou por irresponsabilidade nua e crua.

Mesmo com esse quadro caótico em que recebeu o município sem nenhum recurso, nenhum convênio nem com o Governo Federal nem com o Governo Estadual e com mais de 11 inadimplências no CAUC dificultando o relacionamento com o Estado e a União José Aldo já fez grandes avanços e nos próximos meses o município começará sentir a força de seu governo. Somente em construções civis, obras, nesses primeiros 100 dias de governo conseguiu incluir nos programas dos governos, Estado e União, mais de vinte cinco milhões de reais: vinte quilômetros de asfalto e calçamentos, sessenta casas unidades habitacionais, mais de um milhão para melhorar o abastecimento de água, uma patrulha mecanizada com quatro máquinas (um trator de esteira, uma motoniveladora, uma escavadeira hidráulica e uma retroescavadeira), construção de duas praças duas públicas uma das quais contará com duas quadras uma de futsal coberta e outra de futebol de areia, duas quadras para escolas, oito escolas, construção de 3 posto de saúde, ampliação de dois e a reforma do Centro de Saúde João Carlos Hass. E caso seja aprovada, o Município será servido pelo programa Cidade Digital que implantará internet banda larga nas instituições públicas municipais e dois pontos abertos para acesso gratuito.
O Prefeito ainda está pleiteando a conclusão e instalação dos equipamentos do Hospital Municipal junto à governadora Roseana Sarney e ao secretário de saúde Ricardo Murad e conseguiu a promessa que o Hospital será entregue em breve, talvez julho deste ano, equipado e com ambulância exclusiva. E Ricardo Murad deverá doar mais uma ambulância. Tudo isso com o apoio do deputado estadual Leo Cunha, com a ajuda do secretário das Cidades Hildo Rocha, do dr. Luis Fernando secretário de estado da infraestrutura e também com a ajuda do senador João Alberto. Este poderá ser um ano muito difícil por causa da herança dos últimos quatro anos de desmando e crises entre os grupos políticos locais. Mas do final deste ano para o início do próximo Paraíso voltará ao trilho do desenvolvimento de onde nunca deveria ter saído.

Fonte: Secretaria de Administração -PMSJP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇA SEU COMENTÁRIO OU ENVIE SUA RESPOSTA EM CASO DE DIREITO A RETRATAÇÃO.

ESTAMOS VOLTANDO