quarta-feira, 14 de agosto de 2013

ESTREITO-MA
Aterro Sanitário de Estreito, primeiro da região vai servir também a outros municípios.
Em audiência pública, realizada no último dia 12, a Prefeitura de Estreito, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, abriu discussão para a efetivação do Plano Municipal de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. O projeto foi apresentado pelo Engenheiro Agrônomo, especializado em Segurança do trabalho, ambiental, logística e gestão de pessoas, Flávio Santos, da Barros Engenharia. Ele destaca que dois pontos são fundamentais para o sucesso do plano: a participação da sociedade nas discussões e a formação dos consórcios intermunicipais.
Flávio destaca a necessidade do envolvimento da população na coleta seletiva e na fiscalização do serviço de limpeza urbana do Município enquanto os consórcios promovem economia e condições de sustentabilidade do Plano.
João Resek Junior, gerente local do Consórcio Estreito Energia (CESTE) elogiou o município e disse que esse é o primeiro município visitado por ele que já está com equipes de trabalho treinadas, equipadas com EPIs, coletes sinalizados, caminhão coletor e aterro sanitário.
Estreito é o único município da região a ter um Plano de Municipal de Resíduos Sólidos e, na busca por parcerias para a criação do Consórcio, já conta com municípios como São João do Paraíso. Lajeado Novo, Porto Franco e Campestre do Maranhão. Devem participar, também, municípios do estado do Tocantins como Palmeiras, Nazaré, Aguiarnópolis e Darcinópolis.
A secretaria de Meio Ambiente de Estreito recentemente recebeu as visitas de secretários de Meio Ambiente de municípios circunvizinhos interessados no consórcio, uma vez que a aquisição de um aterro tem um custo elevado para a realidade dessa região, sendo a melhor saída o compartilhamento, que tem sido incentivado pelo governo Federal para a liberação de verbas.
A responsabilidade compartilhada deve ser a realidade do poder público, sociedade civil, empresas e Ongs. Essas são responsáveis pela triagem dos resíduos sólidos e úmidos  antes do recolhimento pela prefeitura. “A responsabilidade compartilhada é peça fundamental para o sucesso do gerenciamento do aterro sanitário, para que, realmente, possa ir para o aterro apenas o rejeito”, diz Brunno Ramoelc, secretário demeio Ambiente de Estreito.
O Aterro Sanitário de Estreito foi concluído em 2012, não foi entregue logo e agora está passando por reforma para ser entregue a atual gestão. Enquanto a reforma não é concluída, o secretário de Meio Ambiente convida de forma especial os municípios do entorno de Estreito a conhecerem as ações existentes, incluindo Sindicato de Catadores de Associação de Reciclagem, buscando sugestões uma vez que é preciso aprofundar as discussões em torno desse assunto.
Se depender da participação popular o plano já é sucesso. O plenário da Câmara Municipal, local da audiência esteve lotado e contou com as presenças do prefeito Cicero Neco Morais, a presidente da Câmara, vereadora Mariana Leite, vereadores Delfina, Elismar e Diney. A audiência foi conduzida pelo secretário de Meio Ambiente de Estreito.

Uma nova audiência está prevista acontecer para a aprovação do Projeto de Lei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇA SEU COMENTÁRIO OU ENVIE SUA RESPOSTA EM CASO DE DIREITO A RETRATAÇÃO.

IMPERATRIZ Duas pessoas morreram por causa da enchente em cidades da região Tocantina  As chuvas que caíram na região nos últimos di...